Sortu e CUP apoiam a convocatória independentista de Causa Galiza no Dia da Pátria

Duas salutaçons enviadas desde Euskal Herria e os Països Cataláns apoiárom a convocatória independentista do Dia da Pátria 2019. Concretamente, as enviadas polo secretário geral de Sortu, Arkaitz Rodríguez, e pola secretaria de Relaçons Internacionais da CUP. Em ambas denunciam-se os operativos repressivos contra o Independentismo Galego.

Reproduzimos a continuaçom os dous comunicados:

CUP

Queridas companheiras,

A Candidatura d'Unitat Popular queremos mandar-vos um saúdo internacionalista num dia tam importante como hoje, 25 de julho. Jornada de luita polos direitos nacionais e culturais do povo galego, mas também, e neste contexto mais que sempre, polos dereitos democráticos, políticos, sociais e laborais dos nossos povos.

O Estado espanhol decidiu desafiar qualquer ápice de dissidência usando todos os instrumentos ao seu alcanço para repremer. Governo, partidos do Regime, poder legislativo, poder judicial, poder policial, meios de comunicaçom,... todos eles sempre a disposiçom da unidade de Espanha e dispostos a colaborar na flagrante vulneraçom dos direitos mais elementares, esmagando, afogando, invisibilizando e encarcerando qualquera forma de dissidência política que questione a sua integridade.

Vivemos um momento político e social absolutamente excecional. O juízo político contra todo um país e o seu direito à autodeterminaçom que vivemos nestes últimos meses contra os e as dirigentes sociais e políticas catalás polo Referendum de 1 outubro; o exílio de deputados, cantantes, ativistas e militantes que nos transporta aos tempos de Franco... Os mais de 980 dias de encarcelamento dos jovens de Altsasua, as mais de 300 presas políticas bascas, Lola, a constante persecuçom aos sindicalistas do SAT, a ilegalizaçom e ameaça de ilegalizaçom de organizaçons políticas em todo o Estado, o sumário 11/13 contra as trabalhadoras de Herria, a aplicación da Lei Mordaça ou as terríveis consequências da Lei de Estranjaria, os constantes feminicídios e a cegueira da Justiça perante eles.... As políticas de austeridade, desmantelamento e privatizaçom de serviços públicos, a precarizaçom do trabalho e a feminizaçom da pobreza... Umha resposta totalmente demofóbica, recentralizadora e repressiva por parte do Estado contra qualquera alternativa politica e social.

Mas, ainda assim, é um Estado que se mostrou débil, e toca aos movimentos da esquerda ruturista afondar nestas fendas. Só desde o indepedentismo, o feminismo, o ecologismo e o anticapitalismo poderemos trabalhar para construir juntas a alternativa necessária ao fascismo, ao capitalismo patriarcal e racista que este Estado representa. Porque juntas, podemo-lo todo!

Països Catalans, 25 de julho de 2019

Sortu

SAÚDOS DE ARKAITZ RODRÍGUEZ, SECRETÁRIO GERAL DE SORTU-ESQUERDA ABERTZALE EM NOME DO SEU CONSELHO NACIONAL

Em nome do Conselho Nacional de SORTU, traslado-vos a nossa salutaçom solidária de classe e país no Dia da Pátria Galega.

Vivemos momentos políticos convulsos no nossos países e no conjunto do Estado espanhol, que mais do que sempre ponhem de relevo a importáncia do trabalho político conjunto dos independentistas de esquerda da Galiza, Catalunya, Euskal Herria e outros povos do Estado.

Nós, desde Euskal Herria, temos como meta aproveitar esta conjuntura política para achegar o nosso país à soberania, ao respeito a decidir da cidadania e os seus direitos sociais com a justiça social como objetivo. E à vez, é a nossa prioridade trabalhar para a volta definitiva para casa de todos os presos e refugiados; e estamos convencidos de que o vamos conseguir, porque a maioria social basca está comprometida com essa reivindicaçom, é algo imparável, e aliás sabemos que contamos também com o alento da boa gente da Galiza nesse objetivo.

Assimesmo, quero denunciar a campanha de criminalizaçom do independentismo galego que estamos a viver nos últimos anos. Tanto na Galiza como em Euskal Herria, o Governo espanhol segue a necessitar dum inemigo interno que permita a utilizaçom de montagens policiais ou a utilizaçom interesseira da administraçom de justiça para criminalizar os independentistas e as opçons da esquerda transformadora e os movimentos sociais.

A nossa solidariedade com os encausados pola Operación Jaro é absoluta, mas nom nos conformamos com a rebaixa de qualificaçom penal: exigimos a livre absoluçom de todos os encausados e o fim do encarceramento de ativistas polo seu trabalho político.

Desde Euskal Herria um abraço solidário e internacionalista com Galiza e Causa Galiza.

Até a vitória.

Viva Galiza ceive!
Gora Euskal Herria askatuta!