Causa Galiza solicita o voto no BNG nas Eleiçons Autonómicas 2020

Perante o adianto das Eleiçons Autonómicas 2020 na CAG para apontoar a continuidade da extrema direita à frente da administraçom autonómica, Causa Galiza quer fazer públicas as seguintes consideraçons:

1. Avaliamos como um facto políticamente positivo, progressivo e necessário para o País fechar o ciclo de gestom autonómica neofranquista que se representou de jeito quase ininterrompido desde 1978 por Rosón, Fernández-Albor, Fraga Iribarne e Núñez Feijóo. Despejar os aplicados executores das políticas do Reino de Espanha e da UE na Galiza torna-se já umha questom de saúde mental coletiva.

2. Somos céticas a respeito das possibilidades dumha gestom da administraçom autonómica vertebrada polo PSOE com a colaboraçom do BNG e os partidos da esquerda espanhola num marco comum de lealdade institucional. No entanto, este cenário contribuiria para debilitar a máfia empresarial, institucional e mediática com que a extrema direita esgana o País e facilitaria políticas reformistas cuja utilidade, embora limitada, dadas as insuficiências do quadro estatutário, é inegável.

3. Temos a conviçom de que a gestom multipartidária do administraçom autonómica agudizará as contradiçons existentes no soberanismo, acelerará o tempo histórico e gerará cenários mais favoráveis para o desenvolvimento e a acumulaçom de forças independentistas.

4. Os limites do quadro estatutário e da sua gestom respeituosa com a legalidade constitucional som insalváveis e fam-o inservível para abordar resolutivamente as problemáticas que afetam o País. Neste sentido, a elevaçom do teito competencial e o reconhecimento formal da plurinacionalidade do Estado som opçons inócuas e de nengum jeito se podem considerar como passos prévios e necessários face a soberania.

5. Clarificar e desenvolver umha estratégia efetiva a meio e longo prazo para a rutura com o quadro autonómico e a legalidade constitucional é a prioridade dos e das independentistas galegas.

6. O independentismo organizado está submetido neste momento a um processo repressivo que, para além de evidenciar a natureza antidemocrática do regime atual mesmo em termos formais, lastra as possibilidades de atuaçom política e detraz recursos e energias para a autodefesa antirrepressiva. Esta excecionalidade é umha das causas que inviabilizam a participaçom no processo eleitoral e a apresentaçom dumha alternativa independentista e rupturista.

7. À vista dos factores anteriores, Causa Galiza reclama o voto nas candidaturas do BNG para 5 de abril. Nom por acreditarmos no projeto e estratégia que apostam na gestom do Estatuto e a melhora autonómica, ou por aguardarmos a evoluiçom independentista de quem, dia após dia, demonstra apostar de facto na reforma do Estado espanhol e o impossível "encaixe cómodo" nele. O nosso voto limita-se a procurar instrumentalmente o apartamento da extrema direita, a agudizaçom das contradiçons no campo nacionalista e, de ser possível, a implementaçom de políticas que sumem forças para a construçom nacional e a defesa dos interesses populares.