Causa Galiza rechaça a presença na Galiza do repressor franquista Rodolfo Martín Villa e exige a sua extradiçom à Argentina

 

Rodolfo Martín Villa, ex dirigente do Movimiento Nacional e Ministro de Interior nos anos duros da Transición Española sobre o que pesa umha ordem internacional de detençom por crimes de lesa humanidade cursada por um tribunal argentino, foi convidado polo Concelho das Pontes de Garcia Rodrigues, com maioria absoluta do PSOE, para participar em 18 de abril numha palestra sobre o citado período histórico.

 

Martín Villa é sinónimo de repressom, fascismo, violência policial, Terrorismo de Estado e, no final do seu ciclo vital, de “portas giratórias” e a gestom desastrosa da crise do Prestige, de modo que a sua presença nas Pontes é inaceptável de umha ótica democrática. Que um ex dirigente da Ditadura espanhola venha à Galiza falar em “democracia” evidencia a fraude monumental que foi a chamada Transición Democrática e que milhares de galegas e galegos começam, agora, descubrir.

 

Por estes motivos, a nossa organizaçom concentrará-se perante o auditório municipal das Pontes de Garcia Rodrigues em 18 de abril para denunciar a legitimaçom por parte do PSOE do repressor fascista, demandar a suspensom da palestra e exigir que Martín Villa seja extraditado a Argentina para ser julgado e condenado por um tribunal situado à margem dos pactos de impunidade para a repressom que alcançárom no seu dia a Ditadura, PSOE e PCE.