A alternativa à miséria à que nos condena o TTIP é um Estado próprio em maos da maioria social
 

     Funcionários da Uniom Europeia, Canadá e Estados Unidos negoceiam nos últimos meses à margem das instituiçons parlamentares o Transatlantic Trade and Investment Partnership popularmente já conhecido como TTIP. Trata-se, sinteticamente, dum acordo para afondar, ainda mais, na liberalizaçom da atividade empresarial e a subordinaçom dos Estados e os povos existentes às diretrizes do mafioso poder económico e financeiro internacional.

 

   O TTIP, como denunciárom nas últimas semanas distintos agentes sociais, sindicais e políticos, pretende a desregularizaçom absoluta do mercado laboral, dando novos passos face a reduçom dos salários, a ampliaçom das jornadas e o retorno à escravidom em que o Governo espanhol é aluno avantajado. Balcom livre para deteriorizar a alimentaçom, liberalizar os transgénicos e privatizar os serviços e as prestaçons sociais completam a oferta detrás da que está o FMI; o BCE e a própria Uniom Europeia.

 

     Independência: a perspetiva no horizonte

 

   Como pano de fundo, o salto qualitativo que alvisca o poder económcio e financeiro globalizado é arrombar definitivamente qualquer capacidade de decisom política territorializada que obstaculice os seus projetos e estratégias. Nem que dizer tem que se a situaçom em perspetiva é grave para os povos com institucionalidade própria, tornará-se insuportável para as naçons que, como a galega, carecemos de qualquer soberania política e mantemos relaçons históricas de dependência colonial.

 

   Causa Galiza alenta o povo a saír para as ruas neste sábado para se manifestar contra o TTIP, mas fazendo-o com a única perspetiva resolutiva possível, que é exigindo um Estado próprio ao serviço da maioria social galega e a saída da Uniom Europeia e a Eurozona, três reivindicaçons imprescindíveis e complementares para fazermos efetiva e real a nossa independência e possuírmos a capacidade de decisom necessária para combatermos a ofensiva atual do Capital transnacional.

 

 

Horas e lugares previstos das mobilizaçons:

 

- Crunha : 12:00 horas perante a Subdelegación del Gobierno de España.

- Ferrol: 12:00 horas na Praça do Hino. 

- Compostela : 11:30  horas na Praça da Galiza.

- Lugo: 12:00 horas na Praça Maior.

- Ourense: 11:30 horas perante a Subdelegación del Gobierno de España.

- Ponte Vedra : 20:00 horas na Praça da Peregrina.

- Vila Garcia : 12:00 horas na Praça da Galiza

- Vigo : Manifestaçom às  20:00 horas, saída desde a Farola de Urzaiz.

 

Na Terra, em 16 de abril de 2015

 

DMQE

 

Mesa Nacional de Causa Galiza